Em painel em Farroupilha, Jairo mostra mais uma vez que é o mais preparado para governar o RS

Em painel em Farroupilha, Jairo mostra mais uma vez que é o mais preparado para governar o RS.
Em painel em Farroupilha, Jairo mostra mais uma vez que é o mais preparado para governar o RS.
Foto: Luiz Munhoz

Na noite desta quinta-feira, 30, na serra gaúcha, em Farroupilha, Jairo Jorge, candidato ao Palácio Piratini pelo PDT participou do 18º debate/painel desde o início de 2018. É o único candidato a participar de todos os debates para os quais foi convidado. É, também, o único candidato ao governo a ter percorrido todos os 497 municípios gaúchos.

 

A sabatina aconteceu na UCS e foi promovida pelo Parlamento Regional em parceria com a CIC-Serra. O pedetista apresentou propostas claras para o estado e foi o mais aplaudido. Os temais abordados foram: saúde, educação, infraestrutura e segurança.

Para a área da saúde, Jairo defendeu a volta do IHOSP (Incentivo de Co-financiamento da Assistência Hospitalar) como medida para melhorar a resolutividade e o atendimento ao cidadão. Defendeu, ainda, a valorização dos Hospitais de Pequeno Porte e comprometeu-se a regionalizar o serviço de saúde em todo o estado. Para ter mais investimentos em saúde, Jairo propôs a redução de burocracia para a atração de novos investimentos; além da redução da carga tributária e de parcerias público-privadas.

Na segurança, uma das principais preocupações dos gaúchos, Jairo Jorge relatou os resultados obtidos por sua gestão na área.

“Mesmo a segurança pública não sendo responsabilidade do município, chamamos a responsabilidade e fizemos muito. O crescimento no número de homicídios entre 2009 e 2016 foi de 94% em Porto Alegre, 73% em Pelotas e 33% em Caxias. Canoas foi uma exceção entre as maiores cidades, os homicídios ficaram estáveis na nossa gestão”, relatou.

O candidato lembrou, ainda, que número de estupros cresceu 36% no RS. Sobre o efetivo da Brigada Militar, mais um dado alarmante.

“Em 31/10/2017, o RS tinha 15.810 brigadianos. O menor efetivo desde 1975. Em 1991, quando Collares assumiu o governo, tinham 29.962 brigadianos. De lá pra cá, a população aumentou 25% e o efetivo caiu quase pela metade. Precisamos aumentar o efetivo de policiais nas ruas de forma organizada, planejada e com eles preparados. Faremos isso, chamando pelo menos 500 brigadianos a cada semestre. A SUSEPE tem metade do efetivo necessário hoje. Esses são apenas alguns números que provam que a segurança não é prioridade. Resultado: 180 assaltos a banco em 2017 e 115 só neste ano”, disse.

Sobre o futuro do estado, Jairo Jorge reforçou a aposta na educação e disse novamente que fará a segunda revolução educacional. “Não vamos privatizar o Banrisul. Vamos fazê-lo forte e lucrativo para usar esse lucro na criação de um Fundo para a Educação. Precisamos oferecer uma educação de qualidade e emancipadora para nossos jovens. Este desafio está posto e já não temos mais tempo a perder. É preciso urgência”, afirmou o pedetista.

“Temos que ter uma educação criativa, investir em pedagogia da inovação, temos que ter tecnologia na sala de aula, capacidade de recuperar a infraestrutura das escolas, diálogo com professores, formação continuada dos professores. Tudo isso porque caberá aos jovens o futuro do RS. Em poucos anos, teremos uma grande parcela da população de idosos. Portanto, os jovens precisam estar preparados e prontos para esse futuro próximo”, lembrou Jairo.

Para ele, esse futuro só existe com investimento forte em educação

Sobre o crescimento econômico e financeiro do RS, o candidato ao Piratini foi enfático:

“Vamos reduzir o tamanho do Estado e modernizar a estrutura. Como dizia Borges de Medeiros: nenhuma receita sem despesa. Esse é o caminho que trilhamos na prefeitura de Canoas e deu certo. Vamos fazer dar certo no RS”.

Para Jairo, o estado precisa mudar de rumo.

“Capacidade de inovação para superar a crise financeira: é disso que o Rio Grande precisa. As velhas soluções usadas nas últimas décadas foram aumento de impostos, uso do caixa único e de depósitos judiciais, venda de empresas públicas. Isso é ultrapassado e não resolve”, destacou.

Outra medida proposta por ele é a celeridade nas licenças ambientais.

“A licença deverá sair em 60 dias. Licença automática, impositiva. Não pode uma licença levar 900 dias como acontece hoje”.

Entre os compromissos já assumidos estão a redução da alíquota do ICMS de 18% pra 17,75% em 1/7/2019 e redução da alíquota de ICMS da energia, combustível e comunicação de 30% para 29% também em 1/7/2019.

“Faremos isso com a Lei do Gatilho. E, de forma paralela, vamos fazer o dever de casa de enxugar a máquina pública. Não precisamos ter 17 secretarias; 10 bastam. Não precisamos de 7 níveis hierárquicos; teremos 3. Velhas saídas vão nos fazer ficar estagnados no mesmo ponto em que estamos, por isso é hora de mudar e mudar com experiência e segurança”, disse Jairo.

Sobre as finanças públicas, Jairo defende uma mudança de rumos e de postura do RS.

“RS é hostil ao empreendedor. Isso não pode. Empreendedor é parceiro, não é bandido. Gera emprego e renda, é parceiro do Estado e do crescimento”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *